Clique na Imagem

PLAY

Botão Flutuante

sexta-feira, 15 de julho de 2016

Agapornis, pássaros muito sensíveis!





Bolinha de Pela - 29/02/2016
Os amiguinhos bicaram em sua patinha que sangrou muito.
Foi na veterinária, ficou de quietinho uma semana sendo medicado e com cuidado redobrado. Hoje está uma ótimo, graças a Deus.




CUIDADOS NO INVERNO


Essa época do ano deixa nossos pequenos muito sensíveis e podem adoecer com mais facilidade. Então eu resolvi dar duas dicas básicas para amenizar essa mudança brusca de temperatura (2 soluções) e dicas de como ver se seu pequeno está doentinho.

Lâmpada de Cerâmica – Loja TRexPets

Mesmo aquecedor que os meus pequenos tem:
Aquecedor à Óleo Mondial – Lojas Americanas
Vários tipos de aquecedores à óleo
Espero que tenham gostado.
E se nesse inverno você já percebeu uma mudança muito grande no seu pequeno e acha que ele precisa procure um veterinário.


SINAIS DE DOENÇAS

Vou fazer algo bem generalizado, pois não vou me basear com algum acontecimento de casa.

Primeiro passo: Conheça seu agapórnis (Faça isso somente depois que sua ave se ambientar na sua casa, pois no começo ela não se comportará “normalmente”)

Nível de atividade: Se brinca bastante, horários que normalmente acorda, tira sonecas, está mais ativa, etc. Além da quantidade de barulho, “canto”, o quanto ele te chama normalmente…

Apetite: Saber a quantidade de comida e água que seu pequeno consume diariamente é muito importante. Lógico que não temos como saber a quantidade exata, mas temos que saber a média.

Peso: Os agapórnis pesam em média 50g. Pese seu pequeno uma vez por semana, sempre de manhã (antes do agapórnis se alimentar) e mantenha uma tabela para verificar se está sempre na média. Pode haver variação de alguns gramas.
Segundo passo: Depois de saber como seu agapórnis é, temos que fazer observações diárias para prevenir ou encontrar sinais de doenças.


Mudanças no comportamento: É somente um fator, o importante é observar todas as razões pela qual seu agapórnis poderia estar se comportando diferente.
Exemplo: Houve mudanças bruscas de temperatura? Pessoas estranhas na casa, objetos novos ao redor da ave, etc. Isso tudo pode fazer com que seu pequeno mude o comportamento, mas não por doença, e sim porque estão observando as “mudanças” ao seu redor para verificar se não há perigo.
Caso não seja algo do ambiente, observe os tópicos abaixo.

Fezes: Sempre que trocar o papel do fundo da gaiola, observe a quantidade e aparência das fezes.
Exemplo: A quantidade não precisa ser exata, só observe se teve muito mais ou muito menos que os outros dias. As fezes devem estar firmes, diferenciar o sólido do líquido das fezes, verde e um pouco de branco. Fezes amarelas ou verde bem clarinho não são normais. Extremamente brancas, avermelhas ou pretas são sinais críticos.
Mas antes de surtar como eu surtava no começo, verifique se seu pequeno comeu algo avermelhado como alguns grãos vermelhos da nutrópica, frutas avermelhadas, etc. A alimentação muda a cor das fezes. Dificilmente terá alteração para a cor preta por causa disso, então, pode correr para um veterinário.
Peso: Muitas doenças afetam o peso dos agapórnis, como a mega bactéria (doença que matou o Nenê). A observação semanal serve para identificar doenças como essa.
Falta ou aumento de apetite.
Sonolência, penas estufadas e principalmente se está no fundo da gaiola nesse estado.
Regurgitação: Quanto não está regurgitando para sua parceira ou algum filhote, é sinal de mal estar passageiro ou doenças.
Nariz, penas, cloaca suja.
Terceiro passo: Leve seu pequeno em algum veterinário especializado em aves.

Procure um logo após adquirir seu primeiro agapórnis, pois é necessário fazer uma consulta de check up ao comprar e anualmente. E em casos de emergências, você já sabe para onde ir. É sempre bom ter um veterinário de confiança antes de realmente precisar.
Caso fique em dúvida quanto ao diagnóstico, consulte outro profissional. Tenha confiança em quem cuida do seu pequeno.
Fonte: Internet


Seguidores

ON LINE

aperte aqui