Clique na Imagem

PLAY

Botão Flutuante

sábado, 25 de junho de 2016

Espécies...





Agapornis é um género de aves psitaciformes, onde se classificam os inseparáveis, pássaros-do-amor ou periquito-namorado. São aves barulhentas e activas em liberdade e cativeiro, e dadas a demonstrações de afecto para com membros da sua espécie e donos humanos.
Vivem em regiões secas relativamente arborizadas. É uma ave colorida e pequena, que atinge por volta de 15 cm (variando pouco de espécie para espécie).
Vivem em pequenos bandos. Alimentam-se essencialmente de fruta, vegetais, ervas e sementes.
Espécies e subespécies
Oito das nove espécies de Agapornis podem ser encontradas na África continental. Uma é originária de Madagascar (Agapornis canus. A. roseicollis pode ser encontrada em Angola e na Namíbia. A espécie A. personata encontra-se na Tanzânia. Cada espécie tem uma distribuição geográfica distinta.

Agapornis roseicollis, (Vieillot, 1818)
Agapornis roseicollis catumbella, B.P. Hall, 1952
Agapornis roseicollis roseicollis, (Vieillot 1818)
Agapornis personatus, Reichenow, 1887
Agapornis fischeri, Reichenow, 1887
Agapornis lilianae, Shelley, 1894
Agapornis nigrigenis, W.L. Sclater, 1906
Agapornis canus, (Gmelin, 1788)[1]
Agapornis canus ablectaneus, Bangs, 1918
Agapornis canus canus, (Gmelin, 1788)[1]
Agapornis taranta, (Stanley, 1814)
Agapornis pullarius, (Linnaeus, 1758)
Agapornis pullarius pullarius, (Linnaeus, 1758)
Agapornis pullarius ugandae, Neumann, 1908
Agapornis swindernianus, (Kuhl, 1820)
Agapornis swindernianus emini, Neumann, 1908
Agapornis swindernianus swindernianus, (Kuhl, 1820)
Agapornis swindernianus zenkeri, Reichenow, 1895
Dimorfismo sexual[editar | editar código-fonte]
Ver artigo principal: Dimorfismo sexual

Filogenia do género Agapornis, com base em provas moleculares.[2]
Apenas algumas das espécies possuem dimorfismo sexual: Agapornis taranta,Agapornis pullarius, Agapornis canus e Agapornis swinderniana.

Reprodução
Algumas espécies de Agapornis forram a cavidade do ninho com cascas de árvore e gravetos, eles preferem folha de palmeira, que carregam até seus ninhos agarrados sob suas penas no caso dos roseicoles os personatas costumam levar no bico, mas a maioria pica o material no interior do ninho.após o acasalamento a fêmea começa a postura dos ovos a partir do 10º dia, sendo posto dia sim e dia não um total de 4 a 6 ovos, o tempo de incubação dos ovos varia de 21 a 23 dias contando a partir da postura do primeiro ovo, após o nascimento a mãe fica responsável por alimentar seus filhotes e o macho alimenta a mãe... com 45 dias de nascidos os filhotes são expulsos do ninho pela mae e ai o pai fica responsavel por alimentalos ate que aprendam a se alimentar sozinhos...[3]

A partir dos nove meses a maioria das espécies já são férteis e uma vez que acasalam a fêmea pode produzir de três a sete ovos.[4]

Seguidores

ON LINE

aperte aqui