Clique na Imagem

PLAY

Botão Flutuante

terça-feira, 16 de janeiro de 2018

Agapornis Roseicollis

Agapornis Roseicollis

Tem o significado de “inseparável-de-faces-rosadas” e é originário da Angola e Namíbia, na África. Possuem penas em um tom verde chamativo e o rosto avermelhado.



Roseicollis verde
Temos também
em verde jade.
Roseicollis arlequim jade
Temos também
em verde, oliva
e violeta.

 
Roseicollis golden americano verde
Temos também
em verde, jade
e violeta.

 
Roseicollis golden japonês oliva
Temos também
em verde, jade
e violeta.

 
Roseicollis lutino 
Roseicollis canela australiano verde
Temos também
em jade e violeta.
Roseicollis canela australiano oliva
Roseicollis canela americano verde
Temos também em  jade, oliva
e violeta.
Roseicollis amarelo australinao jade
Temos também em  verde.
Roseicollis fulvo oriental violeta
Temos também em  verde, jade
e oliva.
Roseicollis asa cinza jade
Temos também em  verde e violeta.
Roseicollis oliva 
Roseicollis verde violeta
Roseicollis pastel cobalto
Temos também em azul.
Roseicollis pastel malva
Roseicollis pastel violeta
Roseicollis pastel arlequim violeta
Temos também em  arlequim azul, arlequim cobalto e arlequim malva.
Roseicollis pastel silver cherry cobalto
Temos também em  azul e violeta.
Roseicollis pastel silver cherry malva
Roseicollis silver japonês violeta
Temos também em  azul, cobalto e malva.
 
Roseicollis cremino pastel
Roseicollis pastel canela australiano azul
Temos também em cobalto.
Roseicollis pastel canela australiano malva
Temos também em violeta.
Roseicollis branco australiano pastel azul
Temos também em cobalto, malva e violeta.
Roseicollis fulvo oriental pastel cobalto
Temos também em azul e violeta.
Roseicollis asa cinza pastel cobalto
Temos também em azul e violeta.
Roseicollis asa cinza malva pastel
Roseicollis cara laranja jade
Temos também em verde.
Roseicollis cara laranja violeta
Roseicollis cara laranja oliva
Roseicollis cara laranja arlequim violeta
Temos também em verde, jade
e oliva.
Roseicollis cara laranja golden verde
Temos também em jade e violeta.
Roseicollis cara laranja canela australiano jade
Temos também em verde, violeta e oliva.
Roseicollis cara laranja canela americano jade
Temos também em verde e violeta.
Roseicollis cara laranja canela americano oliva
Roseicollis cara laranja amarelo australiano
Roseicollis cara laranja lutino
Roseicollis cara laranja asa cinza
Roseicollis cara branca azul
Temos também em verde-mar.
Roseicollis cara branca cobalto violeta
Temos também em verde-mar.
Roseicollis cara branca malva
Temos também em verde-mar.
 
Roseicollis cara branca azul violeta
Temos também em verde-mar.
Roseicollis cara branca arlequim azul
Temos também em cobalto, malva e violeta
e todos com 1 fator cara branca, ou seja, verde-mar.
Roseicollis cara branca silver cherry oliva
Temos também em azul, cobalto e violeta. Também todos em verde-mar.
Roseicollis cara branca canela australiano marfim
Temos também em cobalto, malva e violeta e com fator verde-mar.
Roseicollis cara branca canela americano cobalto
Temos também em azul, violeta e malva.
Temos também com fator verde-mar.
Roseicollis fulvo oriental verde-mar
Roseicollis branco australiano cara branca
Temos também em verde-mar.
Roseicollis asa cinza verde-mar malva
Roseicollis cremino cara branca
Roseicollis arlequim verde-mar
Roseicollis asa cinza cara branca malva
Temos também em verde-mar.
Roseicollis opalino verde jade
Roseicollis opalino oliva

Roseicollis opalino lutino
 

Fonte: http://www.agapornisbrasil.com/site/index.php?option=com_wrapper&view=wrapper&Itemid=54



Origem

Agapornis – palavra grega que quer dizer “Ave do Amor“.
Sua origem é Africana, portanto não é necessário nenhuma licença especial do IBAMA para sua criação. Foi descoberto em 1.793, levado para a Europa em 1.860 e chegaram ao Brasil no final dos anos 50, mas só foram criados em grande escala a partir dos anos 80. Pertence a Família dos Psitacídeos, que inclui periquitos, araras, papagaios, cacatuas, tuins, etc.
Estão divididos nas seguintes espécies:
Agapornis Roseicollis;
Agapornis Personata;
Agapornis Fischer;
Agapornis Nigrigenis;
Agapornis Cana;
Agapornis Pullaria;
Agapornis Taranta;
Agapornis Liliane;
Agapornis Swinderniana.


Acomodação

Viveiros:
Facilidade para cuidar, alimentar, limpar, pois em um único local teremos todas as aves, diminuindo o tempo utilizado.
Gaiolas Individuais:
Melhor manejo das aves, diminuindo possibilidade de brigas e doenças. Controle Genético das aves. Identificação Segura dos pais e filhotes.



Diferenciar Machos e Fêmeas

Apalpar os ossos da bacia, o macho apresenta bem fechados e pontudos e o espaço entre o peito e os ossos é pequeno, nas fêmeas são mais abertos e arredondados, com o espaço maior entre o peito e os ossos. É uma prática comum mas não segura, pois existem machos mais abertos e fêmeas mais fechadas. Acompanhar as aves e verificar se elas namoram. É possível que sejam um casal. Analisar comportamento e aspectos físicos, machos são mais quietos e menores e as fêmeas mais bravas, barulhentas e maiores (claro temos exceções). Sexagem em laboratórios através de amostras de sangue.



Acasalamento

Tão logo formado o casal, começará a montagem do ninho, nesta época forneça material (palha de milho, vassoura, etc.) para as aves montarem seus ninhos, se isso não acontecer (as aves não se entenderem) em 3 ou 4 semanas, ocorreu alguma incompatibilidade e o casal deve ser desfeito. Acontecendo tudo corretamente logo teremos o inicio da postura.


Alimentação

Girassol, painço, alpiste, aveia, niger e uma farinhada que o Criadouro Agapornis Mil Cores comercializa. Pode-se oferecer espinafre, agrião, couve, milho verde, cenoura, maça e jiló. A água deve ser trocada diariamente e deve-se fornecer tigelas apropriadas para aves tomarem banho.



Cuidados Gerais

Em caso de doenças prefira um veterinário. As doenças são raras mas podem ocorrer por contaminação por pássaros de origem duvidosa. Ratos são o que há de pior. As aves devem estar em locais arejados e onde bate luz solar no período da manhã.
Mantenha o criadouro limpo. Seus pássaros só tem você para protegê-los.



Criação

Anote todas as informações: datas, anilhas, posturas, nascimentos, com isso teremos o histórico das aves, em suma, conseguir as informações necessárias (filiação, casais bons reprodutores, etc.) para melhorar a criação nos próximos anos. Aprenda nomenclaturas das cores, tipos de grupos, espécies, fatores e peculiaridades ligadas ao sexo, mutações, etc. através de livros, publicações técnicas e contato com outros criadores. Visite Exposições e Campeonatos de Pássaros, isso possibilita você conhecer cores novas, identificar os padrões de excelência necessários, conversar e trocar idéias com os criadores mais experientes. Seja sócio de um Clube Ornitológico para obter as anilhas para as aves, bem como participar de um grupo de criadores como você, trocando informações e conhecimentos.
Participe de Concursos com suas Aves, pois este é o melhor meio de saber se você está no caminho certo de sua criação, outro objetivo, se faz na divulgação do seu Criadouro, das suas Aves, aumentando a possibilidade de venda, troca, etc.



Iniciando a Criação

É simples e barato de criar, devendo a localização dos viveiros ser em local bem arejado, sem correntes de ar. Oito casais servem perfeitamente em um viveiro com medidas de 2,20 X 2,20 X 20,20 (comp x larg x alt). Gaiolas 80 X 50 X 50 cm é a medida para um casal. Ninhos: 25 X 20 X 15 cm no viveiro deve se colocar um número superior aos dos casais para evitar brigas. Os Agapornis criam quase o ano todo, descansando no verão, rendendo normalmente 3 posturas (processo que significa fazer o ninho, botar os ovos, chocar os ovos e cuidar dos filhotes) por ano. Prefira matrizes de criadores renomados.



Curiosidades

Os maiores Agapornis são da Espécie Taranta e os menores da Espécie Cana. Somente nas Espécies Cana, Taranta e Pullaria que existem diformismo sexual, ou seja, o macho é diferente da fêmea. A espécie Cana é a única que está fora do Continente Africano, na Ilha de Madagascar.A espécie Swinderniana não tem exemplares em cativeiro. No filme Os Pássaros (1963) de Alfred Hitchcock, as aves compradas pela moça (Suzanne Pleshette) para presentear a menina são um casal de Agapornis Roseicollis Verdes. Tirando os Agapornis Roseicollis, todas as outras espécies revestem completamente o ninho, quase escondendo os olhos quando da abertura do mesmo.



http://agapornismilcores.com.br/galeria/nggallery/page/5

Seguidores

ON LINE

aperte aqui